A internacionalização da indústria automobilística brasileira:

dinâmica produtiva e estratégias de mercado

  • Gustavo Bacciotti Candido UFSC
  • Silvio A. F. Cario UFSC
  • Walter Shima UFPR
Palavras-chave: indústria automobilística brasileira, internacionalização da produção automotiva.

Resumo

O propósito desse estudo é apresentar os resultados produtivos, padrão de concorrência e estratégias de mercado da indústria automobilística no Brasil. Os resultados apontaram que, em 2020, a indústria possuía 61 unidades fabris, pertencentes a 26 empresas multinacionais, concentrada nas regiões Sudeste (54,3%) e Sul (34,2%). A produção foi de 3 milhões de unidades, gerou cerca de 1,3 milhões de empregos diretos e indiretos e alcançou faturamento de US$ 60 bilhões, sendo 20% procedentes do exterior. A participação no PIB industrial foi de 18% e de 3% no PIB nacional. Posicionou o país como 9º. produtor e o 6º. mercado consumidor automobilístico mundial. As estratégias adotadas foram a interação com fornecedores, diferenciação produtiva, P&D, propaganda e marketing, revendedoras credenciadas e financiamento. No momento, investimentos estão sendo realizados no veículo elétrico, em substituição a combustão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

AGUIAR, E. C. Relações de fornecimento na indústria automobilística paranaense: o caso Chrysler - Dana. 2001. Dissertação (Mestrado em Administração) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul - Programa de Pós-Graduação em Administração. Porto Alegre, 2001.
ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS FABRICANTES DE VEÍCULOS AUTOMOTIVOS – ANFAVEA. Anuário da indústria automotiva brasileira 2014. São Paulo, 2014. Disponível em: https://anfavea.com.br/anuario2021/anuario.pdf. Acesso em: 21 jul. 2021.
ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS FABRICANTES DE VEÍCULOS AUTOMOTIVOS - ANFAVEA. Anuário da indústria automotiva brasileira 2021. São Paulo, 2021. Disponível em: http://www.virapagina.com.br/anfavea2019/. Acesso em: 21 jul. 2021.
AUGUSTO, C. A. Estruturas de governança no setor automotivo no estado do Paraná: implicações sob a consideração dos custos de transação, custos de mensuração e recursos estratégicos. 2015. 335 f. Tese (Doutorado em Administração). Programa de Pós-Graduação em Administração, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2015.
AUGUSTO, C. A.; SOUZA, J. P.; CARIO, S. A. F. Integração vertical em montadoras
automotivas. Revista de Administração Contemporânea, Rio de Janeiro, v. 22, n. 5, pp
704-725, setembro/outubro, 2018. Disponível em
https://rac.anpad.org.br/index.php/rac/article/view/1295/pdf. Acesso em 29/07/2021.
BARROS, D.; PEDRO, L. S. O papel do BNDES no desenvolvimento do setor
automotivo brasileiro. BNDES 60 anos – perspectivas setoriais. Brasília: BNDES,
2012, p. 98-139. Disponível em
https://web.bndes.gov.br/bib/jspui/bitstream/1408/938/1/O%20papel%20do%20BNDES%20no%20desenvolvimento%20do%20setor%20automotivo-final.pdf. Acesso em 27/07/2021.
BAUMOL, W.; PANZAR, J. C.; WILLIG, R. D. Contestable markets and the theory
of industry structure. Harcourt. San Diego, 1982.
BICEV, J. T. Políticas tripartites e ação sindical: a experiência de negociação do
Sindicato dos Metalúrgicos do ABS no setor automotivo. 2019. 192 f. Tese (Doutorado
em Sociologia). Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo,2019. Disponível em https://teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8132/tde-13062019-111731/publico/2019_JonasTomaziBicev_VCorr.pdf.
BRUSONI, S.; PRENCIPE, A. Unpacking the black box of modularity: technologies,
products and organization. Industrial na Corporate Change, vol. 10, No. 1, 2001. p.
179- 205. Disponível em: https://journals.sagepub.com/doi/10.2307/3094825. Acesso em
15/08/2021.
CANDIDO, G. B. O Impacto socioeconômico provocado pelo estabelecimento da montadora de veículos Honda no município de Itirapina/SP. 2019. 150 f. Monografia (Economia). Departamento de Economia e Relações Internacionais, Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, 2019.
CARVALHO, E. G. Globalização e estratégias competitivas na indústria automobilística: uma abordagem a partir das principais montadoras instaladas no Brasil. Revista Gestão e Produção, v.12, n. 1, p. 121-133, jan-abr. 2005.
CASOTTI, B. P.; GOLDENSTEIN, M. Panorama do setor automotivo: as mudanças estruturas da indústria e as perspectivas para o Brasil. In: BNDES Setorial. Rio de Janeiro: Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, n. 28, p. 147-188, 2008.
COSTA, R. M.; HENKIN, H. Estratégias competitivas e desempenho da
indústria automobilística no brasil. In: Encontro Nacional de Economia, 40, 2012, Pernambuco. Anais [...]. Pernambuco: Porto de Galinhas, 2012.
DIAS, A. V. C.; GALINA, S. V. R.; SILVA, F. D. Análise contemporânea da cadeia produtiva do setor automobilístico: aspectos relativos à capacitação tecnológica. In: Encontro Nacional de Engenharia de Produção, 19, 1999, Rio de Janeiro. Anais [...]. Rio de Janeiro: ENEGEP, 1999.
EL PAÍS. Fechamento da Ford no Brasil impacta, além de cerca de 5.000 empregos,
cadeia produtiva do setor. 11/01/2021. Disponível em
https://brasil.elpais.com/brasil/2021-01-12/fechamento-da-ford-no-brasil-impacta-alem-de-cerca-de-5000-empregos-cadeia-produtiva-do-setor.html. Acesso em 15/08/2021.
FERRATO, E.; CARVALHO, R. Q.; SPERS, E. E.; PIZZINATTO, N. K. Relacionamento interorganizacional e hold-up no setor automotivo: uma análise sob o enfoque da economia dos custos de transação. Revista de Gestão USP, v. 13, n. 1, p. 75-87, jan/mar., São Paulo, 2006.
GATTI JUNIOR, W.; YU, ABRAHAM. As transformações do conhecimento no
processo de inovação: um estudo multicasos no desenvolvimento da tecnologia flex fuel
no Brasil. REGE - Revista de Gestão, 24 (2017) 256–267. Disponível em
https://www.revistas.usp.br/rege/article/view/135324/131189. Acesso em 02/08/2021.
GONÇALVES, A. L. Concorrência sob condições oligopolísticas. Campinas: Ed. Unicamp, 2015.
INTERNATIONAL ORGANIZATION OF MOTOR VEHICLE MANUFACTURERS (OICA). Production Statistics, 2018. Disponível em http://www.oica.net. Acesso em: 12 jun. 2019.
INTERNATIONAL ORGANIZATION OF MOTOR VEHICLE MANUFACTURERS (OICA). Production Statistics, 2021. Disponível em http://www.oica.net. Acesso em: 21 jul. 2021.
KIM, L. Da imitação à inovação: a dinâmica do aprendizado tecnológico da Coréia.
Campinas: Editora Unicamp, 2005, 305 p.
LADOSKY, M. H. A reespacialização da indústria automotiva: o caso da FCA em Goiana
(PE). In: LIMA, J. C. (Org.). O trabalho em territórios periféricos: estudos em três
setores produtivos. São Paulo: Annablume, 2020, no prelo.
LESSA, C. Quinze anos de política econômica. SP: Brasiliense, 1982.
LIMA, J. C. A globalização periférica e a ressignificação dos lugares. Revista Sociedade
e Estado, Brasília, Volume 35, Número 3, p. 765-786, setembro/dezembro 2020.
Disponível em
https://www.scielo.br/j/se/a/Thr6v5Dzn78RtQjJSYPDcgJ/?format=pdf&lang=pt.
Acesso em 29/07/2021.
MENDONÇA, F. Montadora inaugura amanhã unidade em Campo Largo; picape Dakota
será o primeiro carro a ser produzido - Fábrica da Chrysler abre polo do Paraná. Folha de
São Paulo. 1998. Disponível em:
https://www1.folha.uol.com.br/fsp/dinheiro/fi06079803.htm. Acessado em 04/08/2021.
MENDONÇA, H.; GLAUCO, A. Declínio da indústria brasileira é profundo e
acelerado. El País. 28/03/2021. Disponível em https://brasil.elpais.com/brasil/2021-03-28/glauco-arbix-declinio-da-industria-brasileira-e-profundo-e-acelerado.html.
Acesso em 15/08/2021.
MIHI, G. F. M.; SBOMPATTO, F. H. M.; FRAY G. S.; SCHIOSER, V.; NICIOLLI, D.; BUTTON, S. T. Sistema modular de manufatura. Tecnologia Mecânica. Engenharia Mecânica – UNICAMP. s/d. Disponível em: http://www.fem.unicamp.br/~sergio1/graduacao/EM335/Temas/Sistema%20modular/modular.htm
MURARA, C. Chrysler encerra produção no PR. Folha de Londrina. 11/04/2001.
Disponível em https://www.folhadelondrina.com.br/economia/chrysler-encerra-producao-no-pr-332208.html. Acessado em 04/08/2021
ORENSTEIN, L.; SOCHACZEWSKI, A. C. Democracia com desenvolvimento: 1956 – 1961. In: ABREU, M. P. (org.) A ordem do progresso – cem anos de política econômica republicana 1889-1989. RJ; Campus, 13ª. Ed. 1990, p. 171 - 196.
PEREIRA, R. A.; SCUR, G.; CONSONI, F. L. Outsourcing nas atividades de
desenvolvimento de novos produtos: o caso da Volkswagen do Brasil. Exacta [online].
2017, 15(2), 287-301. ISSN: 1678-5428. Disponível em
https://www.redalyc.org/articulo.oa?id=81052202009. Acesso em 30/07/2021.
POSSAS, M. L. Estrutura de mercado em oligopólio. SP: Hucitec, 1985
SENHORAS, E. M. A Indústria automobilística sob enfoque estático e dinâmico: uma análise teórica. In: Seminários de Administração - SEMEAD, 8, 2005. Anais [...]. São Paulo: FEA/USP, 2005.
SESSO FILHO, U. A; MORETTO, A. C.; RODRIGUES, R. L.; BALDUCCI, F. L. P.;
KURESKI, R. Indústria automobilística no Paraná: impactos na produção local e no
restante do Brasil. Revista Paranaense de Desenvolvimento, Curitiba, n.106, p.89-112,
jan./jun. 2004. Disponível em:
http://www.ipardes.gov.br/ojs/index.php/revistaparanaense/article/view/164/141.
Acessado em 04/08/2021.
SILVA, A. C. J.; BORTOLOTTI, M. A.; SHIMA, W. T. Padrões setoriais de mudança técnica e fomento de inovações na indústria brasileira: considerações sobre o setor automotivo. Revista Catarinense de Economia, v. 1, n. 2, 2017.
TAGLIONI, D.; WINKLER, D. Here’s why. In: TAGLIONI, D.; WINKLER, D. Making global value chains work for development. Washington, DC: World Bank, 2016, p. 11-32. Disponível em: https://openknowledge.worldbank.org/handle/10986/24426?locale-attribute=en. Acesso em: 07 jun. 2019.
TORRES, A. R. L. Indústria automobilística brasileira: uma análise da cadeia de valor. 2011. Dissertação (Mestrado em Economia). Programa de Pós-graduação em Economia, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2011.
Publicado
2021-09-07
Como Citar
Candido, G. B., Cario, S. A. F., & Shima, W. (2021). A internacionalização da indústria automobilística brasileira:: dinâmica produtiva e estratégias de mercado. Revista Catarinense De Economia, 4(1), 124 - 151. Recuperado de https://www.apec.pro.br/rce/index.php/rce/article/view/85